Metafísica da Saúde – Rins

 

 

 

 

 

 

Os Rins são os principais órgãos que compõem o Sistema Urinário. Metafisicamente, os rins representam o referencial físico da habilidade de se relacionar e vivenciar as experiências afetivas através dos relacionamentos interpessoais, que englobam principalmente o parceiro e os familiares.
O amor estabelece os laços que unem as pessoas, possibilitando a elas se manterem juntas desfrutando de uma vida em comum. O relacionamento estabelece a percepção consciente do sentimento de amor.

O maior referencial do amor no corpo físico não são exatamente os rins, mas sim a glândula do timo, que está localizada no centro do peito. O timo corresponde a uma espécie de “berço da alma”. Na região central do tórax é onde brotam os conteúdos mais profundos do nosso ser, em especial o amor. Quando fazemos alguma referência a nós mesmos, costumamos apontar dedo indicador para a área do timo; esse gesto demonstra que esta região do corpo representa uma espécie de foco referencial de si mesmo.

Amar vai ampliar o nosso horizonte, ampliar a maneira de como nos percebemos e como nos relacionamos com mundo, mas para isso é necessário que saibamos se abrir ao amor,  quem resiste ao amor, se torna limitado, muito racional e compromete seu progresso interior.

A maneira como nos relacionamos é determinante para nossa felicidade afetiva e para um bom funcionamento dos rins.

Para nos relacionarmos precisamos sair do nosso mundo e explorar o mundo do outro, e nessa trajetória em busca do outro, acabamos por nos conhecer. Sendo assim, se eu me abandono em função do outro, perco meu referencial, a minha conexão comigo mesmo e comprometo meu processo.

O rim direito representa como a pessoa se comporta em relação ao outro, quando doente representa uma pessoa frustrada nas relações afetivas. Mediante isso, muitas pessoas projetam-nos outros suas insatisfações, tornando-se impertinentes para com aqueles que as cercam, enquanto algumas reprimem-se, ficando caladas e amarguradas.

O rim esquerdo representa como eu me relaciono comigo e a  maneira como eu acolho aquilo que vem das pessoas queridas. A habilidade para ficar somente com o melhor da relação, sem os dissabores provocados por aquilo que o outro fala ou faz. O que adoece o rim esquerdo são os conflitos internos provocados pelo sentimento de inadequação e pela auto-reprovação. Punir-se pela sua conduta no relacionamento, reprovando seu desempenho, e culpar-se por tudo aquilo que sai errado na convivência é altamente nocivo ao bem-estar; não conseguir desvencilhar-se das críticas provenientes das pessoas amadas; ficar remoendo os desagrados provocados pelos outros;  também estão entre as causas metafísicas das doenças que afetam o rim esquerdo.

Enfim, por trás de qualquer problema renal existe uma pessoa com grande dificuldade para estabelecer vínculos afetivos.

Para evitar que sua vida se resuma a uma relação afetiva ou que você se defina de acordo com as opiniões alheias, delegando aos outros o poder de fazê-lo feliz ou promover sua auto-estima, é necessário o desapego.

  • CURIOSIDADES : atualmente mais de 10% dos homens e 5% sofrem de cálculo renal. Essa desproporção é explicada pelo fato das mulheres externalizarem mais suas emoções, enquanto os homens cristalizam seus desapontamentos. Em qualquer ser humano com problemas renais, está oculto uma dependência do outro, uma necessidade de apoio, consideração e afeto; por mais que suas atitudes digam o oposto, pois quando suas expectativas afetivas são frustradas, costumam criticar os outros, para mostrar se auto-suficiente.

Fonte: alimentação Desintoxicante – Conceição Trucom – Editora Alaúde

Blog Marcia Cassandra