Ansiedade

 

A ansiedade é uma emoção normal do ser humano, comum ao se enfrentar algum problema no trabalho, antes de uma prova ou diante de decisões difíceis do dia a dia. No entanto, a ansiedade excessiva pode se tornar uma doença ou um distúrbio.

As causas podem ser diversas,  existem pre disposições, fatores internos, ligados a maneira de como a pessoa foi criada e também os externos, ligados ao meio em que a pessoa passa a maior parte do tempo.

Existem sintomas físicos e psicológicos : 

FÍSICOS

  • Dor ou aperto no peito e aumento das batidas do coração
  • Respiração ofegante ou falta de ar
  • Aumento do suor
  • Tremores nas mãos ou outras partes do corpo
  • Sensação de fraqueza ou cansaço
  • Boca seca
  • Mãos e pés frios ou suados
  • Náusea
  • Tensão muscular
  • Dor de barriga ou diarreia.

PSICOLÓGICOS

  • Constante tensão ou nervosismo
  • Sensação de que algo ruim vai acontecer
  • Problemas de concentração
  • Medo constante
  • Descontrole sobre os pensamentos, principalmente dificuldade em esquecer o objeto de tensão
  • Preocupação exagerada em comparação com a realidade
  • Problemas para dormir
  • Irritabilidade
  • Agitação dos braços e pernas.

A boa notícia é que mesmo a ansiedade mais severa pode ser tratada, e é no consultório que o profissional vai escolher o método de tratamento que mais se encaixa dentro do perfil de cada paciente.

 

Síndrome do pânico

 

 

 

 

Basicamente a Síndrome do Pânico é um tipo de transtorno de ansiedade onde ocorrem crises desesperadoras de um medo muito forte e sem razão aparente, de modo recorrente e inesperado.

Sintomas físicos: ansiedade, palidez, fraqueza, suor intenso, falta de ar, palpitações, tonturas, tremores, desmaio, e a pior delas, sensação de que vai morrer e/ou ter novos ataques de pânico. ( Vale lembrar que esses sintomas podem variar em menor ou maior grau ).

Possíveis Causas: pode ocorrer após uma situação traumática, como, perdas, assaltos,  acidentes, sequestros, alto picos de estresse, as causas exatas são desconhecidas, porem a ciência acredita em um conjunto de fatores que podem desencadear o desenvolvimento deste transtorno, como os já citados e também pessoas com temperamento forte e suscetível ao estresse, além de fatores genéticos.

Para tentar entender essa patologia pelo aspecto das nossas emoções e tendo como base a metafísica da saúde, eu diria que em algum momento a repressão foi tão forte e tão profunda que gerou esse pânico, não somos os mesmos de quando criança, isso é fato, porém a repressão de algumas pessoas é sempre maior, ( entenda repressão de si mesma e não somente de ser reprimida por alguém ).

Perguntas: Você é o mesmo de quando era criança, no sentido de naturalidade e essência? – Você é livre para ir e vir e se expressar como “sente” lá dentro do seu Ser ? – Você faz o que gosta?

Fomos nós com nossas escolhas ( conscientes ou não ), feitas no passado em nome de algum ideal maluco, que reprimimos alguma coisa aqui dentro, que de tanto ser reprimida está fazendo com que percamos o equilíbrio emocional. Porquê tudo no corpo, a nível de doença é desequilíbrio, é mera reação do organismo a determinados desequilíbrios das nossas emoções.

Resumindo : Se a sensação é de opressão, sufoco, medo e realmente de pânico, logo, isso deve ter tido um início lógico. Então : pressão, opressão e estado nervoso incontrolável significa que nós , em algum momento da nossa vida fizemos exatamente isso conosco.

Então para começar precisamos ouvir o recado da nossa alma : Eu quero sair!
Eu quero ser livre e experienciar as coisas que me fazem bem. Todo o seu sofrimento vem da negação da sua verdade interior.
Confie mais em você e viva sem amarras.

É claro que muitas vezes não vamos conseguir sair da situação sem ajuda, devemos sim procurar um psiquiatra que poderá nos medicar, de imediado, pois os fármacos vão diminuir a ocorrência das crises, associado a psicoterapia, que vai nos auxiliar nas mudanças de padrões e a entender as causas, mudando assim o rumo da nossa historia.

É importante destacar que há uma diferença significativa entre Ataque de Pânico e Síndrome do Pânico. O ataque é um episódio isolado em que os sintomas do quadro de ansiedade aparecem. Já a Síndrome é um conjunto de sintomas, entre eles, a repetição dos ataques de pânico com certa frequência, que relacionam o ataque à sensação de medo de desmaiar, medo de perder o controle, medo de ter um ataque do coração e, por fim, medo de morrer.

 

CURIOSIDADES 

A Síndrome do Pânico atinge duas vezes mais as mulheres do que os homens, especialmente entre 18 e 35 anos.

Quando não tratada a Síndrome leva o individuo a desenvolver diversas fobias, que vão limitando a vida e deixando o cada vez mais recluso.

 

Fonte :

Augusto Cury

Celia Resende

Vinícius Francis

Valcapelli

Juliana Spinelli Ferrari